Pediatria: As dificuldades para o fracionamento e desperdício De medicamentos injetáveis em farmácias hospitalares

Autores

  • Alessandra Caldeira
  • Angélica Cândida Ferreira
  • Arlete Tavares Buchardt
  • Ivson Lelis Gama
  • Lizandra Carla Pereira de Oliveira
  • Raquel Kummer

Resumo

Resumo: Este trabalho visa analisar o desperdício em consequência da padronização de medidas na produção das ampolas de injetáveis que nem sempre visam a utilização de pequenas unidades, que facilita a perda diante da pediatria, a instabilidade medicamentosa também auxilia para esse desperdício já que a mesma, após ser preparada, tem pouco tempo de imutabilidade, tornando-se inviável e descartável, aumentando custos desnecessários. Haveria, talvez, a probabilidade da aquisição de medicamentos injetáveis com doses menores, se disponíveis no mercado, que visassem a especificidade infantil ou a regulamentação para a produção de recipientes do tipo multidose priorizando a necessidade do fracionamento, assim como o cuidado para com a estabilidade medicamentosa. O auxílio tecnológico é uma aposta promissora para a contribuição com a economia brasileira.

Downloads

Publicado

2021-06-01